quinta-feira, 31 de março de 2011

Ser um arco firme...




Ser pai...
nunca pensei nessa função, se é que pode se chamar a paternidade de função.
Mas esses dois na foto acima surgiram na minha vida, um em 1990 o outro em 1996.
Neste momento não estou acordado pensando em nada sobre mim, nenhuma preocupação que se refira a minha pessoa. Estou preocupado pelas dificuldades que o mais velho está enfrentando na faculdade e pela escolha do mais novo em querer seguir meus passos e ser militar.
Todos dois nasceram prematuros, porém o mais velho ficou surdo devido ao tratamento a que teve que ser submetido. Daí sua dificuldade na faculdade.
O mais novo é um pirralho e apesar de tentar passar pra ele as dificuldades que já passei como militar, coisas que ele sequer sonhou em seus piores pesadelos, ele caminha a passos largos nessa direção.
Eu confio neles e principalmente em Deus, mas o amor é tão grande que dói!
Quem me dera ficar surdo agora e permitir que o mais velho ouvisse ou enfrentar todo o inferno verde novamente para que o outro ficasse em casa seguro!
Mas não funciona assim.
Me veio a mente agora um livro que li há muito tempo, chamado O Profeta, de Gibran Kalhil Gibran. Nele havia um texto destinado aos pais :
"E ele disse:
- Tuas crianças não são tuas crianças.
Elas são os filhos da Vida que anseia por si mesma.
Elas vieram através de ti mas não de ti,
e a despeito de estarem contigo
elas não te pertencem.

Tu podes dar-lhes teu amor
mas não teus pensamentos,
pois elas têm seus próprios pensamentos.

Tu podes hospedar seus corpos mas não suas almas,
pois suas almas habitam na casa do amanhã,
que não podes visitar, mesmo em teus sonhos.

Tu podes empenhar-te para seres como elas,
mas não tentes fazê-las serem como tu,
pois a vida não caminha para trás
nem coabita com o ontem.

Tu és o arco,
do qual tuas crianças, como flechas vivas,
são impulsionadas.
Arqueiro, vê a marca,
sobre a trajetória do infinito,
a ele te dobra com seu poder,
para que tuas flechas sigam
velozes e para longe.

Faze com que a tensão na mão do arqueiro
seja para o contentamento e a felicidade;
Pois assim como Ele ama a flecha que voa,
Ele ama também o arco que é firme".

Como é difícil ser um arco firme!
Como é difícil ver as flechas se distanciando!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tente aprender de uma vez por todas!

Quando vc era bem pequeno...

cid:423519F4FE2449FEA04F9FE41871721B@CHUNGPC
...eles gastavam horas lhe ensinando a usar talheres nas refeições...

cid:3BF4ABC9C6234757BB79FDB8881AD2CC@CHUNGPC
... ensinando você a se vestir, amarrar os cadaos dos sapatos, fechar os botões da camisa..

cid:FCE7297B2ED240B78CA54E02FF2891A8@CHUNGPC
Limpando-o quando você sujava suas fraldas lhe ensinando a lavar o rosto a se banhar a pentear seus cabelos...

cid:5D97E01C79D64ACEA2818601E18E68F8@CHUNGPC
...lhe ensinando valores humanos...
 cid:47E8416C5E7E49A19B7DE494D9BBF73D@CHUNGPC
Por isso...

cid:360D75CA7CB1428FA753A7F3C1C0C991@CHUNGPC
...quando eles ficarem velhos um dia...e seria bom que todos pudessem chegar até aí (não preciso explicar...não é?)

cid:A2695DA1050F4AFAA41B1A036049EB18@CHUNGPC
...quando eles começarem a ficar mais esquecidos e demorarem a responder...

cid:2AEE9B344B9649C98BBDC7C13CC83804@CHUNGPC

...não se chateie com eles...

cid:02D02D429F2B4C14B741BF7E9CFF2B3F@CHUNGPC
...quando eles começarem a esquecer de fechar botões da camisa, de amarrar cadarços de sapato...
cid:2E76654353FE4F8EA9AA5B77F01400ED@CHUNGPC
...quando eles começarem a se sujar nas refeições...

cid:8AB80FFA70574199B3B5193B7A94FC3F@CHUNGPC

...quando as mãos deles começarem a tremer enquanto penteiam cabelo...

cid:5F0293ABEBA34E9193503C2A4C861421@CHUNGPC

...por favor, não os apresse...porque você está crescendo aos poucos, e eles envelhecendo... 
cid:8BF7D5FCFA6D46468F41E8F4A9428B15@CHUNGPC
...basta sua presença... sua paciência... sua generosidade... sua retribuição...

cid:E35EF9AB0A2342B6BC68CA2082C9769C@CHUNGPC

...para que os corações deles fiquem aquecidos...

cid:BA150EF045EE446F9B49CAB185F118C2@CHUNGPC

...se um dia eles não conseguirem se equilibrar ou caminhar direito...

cid:A74A1CCFA1DC4F6D9C77CA7B10F5B8E9@CHUNGPC

...segure firme as mãos deles e os acompanhe bem devagar respeitando o ritmo deles durante a caminhada... da mesma forma como eles respeitaram o seu ritmo quando lhe ensinaram a andar...

cid:FE257A13D640495E94BCFD1B1EEE0C05@CHUNGPC

fique perto dêles...assim como...
cid:D76545AD356A41CABC2D3219877F88C5@CHUNGPC

...eles sempre estiveram presentes em sua vida, sofrendo por você... torcendo por você... 
e vivendo "POR VOCÊ"

cid:D579D98F65C940A9AFDEBD6F8DF93482@CHUNGPC



quinta-feira, 2 de setembro de 2010

O Reggae, o rasta e você!


RASTA e o REGGAE

O Reggae
"O Reggae não é um estilo musical comum. Ele traz junto dele um conjunto de filosofias e pensamentos, que fazem entrar em harmonia mente e alma. É capaz de envolver a alma completamente através de maravilhosos arranjos de melodia, que energizam, pulsam e vibram. As ligações entre o reggae e o movimento (religioso, filosófico, político) rastafari são grandes."
O texto acima não foi escrito por mim, mas por admiradores e "viciados" em Reggae. http://rastareggaerootsdownload.blogspot.com/

Mas o que vem a ser o Rasta?
O rastafarianismo, também conhecido como movimento rastafári ou Rastafar-I (rastafarai) é um movimento religioso que proclama Hailê Selassiê I, imperador da Etiópia, como a representação terrena de Jah (Deus). Este termo advém de uma forma contraída de Jeová encontrada no salmo 68:4 na versão da Bíblia do Rei James, e faz parte da trindade sagrada o messias prometido. O termo rastafári tem sua origem em Ras ("príncipe" ou "cabeça") Tafari ("da paz") Makonnen, o nome de Hailê Selassiê antes de sua coroação[1].
O movimento surgiu na Jamaica entre a classe trabalhadora e camponeses negros em meados dos anos 20, iniciado por uma interpretação da profecia bíblica em parte baseada pelo status de Selassiê como o único monarca africano de um país totalmente independente e seus títulos de Rei dos Reis, Senhor dos Senhores e Leão Conquistador da Tribo de Judah (título "roubado" de Jesus), que foram dados pela Igreja Ortodoxa Etíope.
Alguns historiadores, afirmam que o movimento surgiu, e teve posteriormente adesão,  por conta da exploração que sofria o povo jamaicano, o que favorece o surgimento de idéias religiosas e líderes messiânicos.
Outros fatores inerentes ao seu crescimento incluem o uso sacramentado da maconha ou "erva", aspirações políticas e afrocentristas, incluindo ensinamentos do publicista e organizador jamaicano Marcus Garvey (também freqüentemente considerado um profeta), o qual ajudou a inspirar a imagem de um novo mundo com sua visão política e cultural.
Chegando o final da década de 60 , muitos Rastas se viram em condições de extrema pobreza, banidos economicamente do sistema capitalista. Em sua maioria , os Rastas procuraram então se manter financeiramente através da arte, em especial o artesanato. É bem reconhecida a habilidade dos Rastas em esculpir peças de motivo africano; como máscaras, estátuas e símbolos bíblicos.
Mas onde melhor a cultura Rasta se propagou foi na musica, com o Reggae .
A industria fonografica jamaicana teve um avanço incrível nas décadas de 60 e 70, apenas pelo fato de varias bandas e cantores, todos Rastas, aparecerem no  cenário musical . O Reggae é tido pelos próprios Rastas como sendo a musica de Jah (Deus), primeiro por Ter a mesma batida do coração e depois pelas mensagens, com letras principalmente de caráter religioso e de protesto racial e político.
O movimento rastafári se espalhou muito pelo mundo, principalmente por causa da imigração e do interesse gerado pelo ritmo do reggae; mais notavelmente pelo cantor e compositor de reggae jamaicano Bob Marley.
Cracterísticas do Rasta
Estilo musical:
Reggae
Aparência:
Cabelos com rastas (Dreadlok), roupas coloridas e leves
Outras Características:
A cor vermelha simboliza a triunfante igreja dos Rastafari, representando também o sangue dos mártires que existem na história dos rastas.
O preto representa a cor dos africanos, dos quais descendem 98% dos jamaicanos.
O verde caracteriza a beleza da vegetação da Etiópia e da terra prometida, a África.
O amarelo é usado para simbolizar a abundância na sua terra natal.
Princípios: 
Fortes objecções em relação a alterações agudas da figura do ser humano, corte e penteado [do cabelo], tatuagem da pele, cortes da carne. 
São basicamente vegetarianos, dando uso escasso a certas peles animais, ainda assim proibindo o uso de carnes suínas de qualquer forma, peixes de concha, peixes sem escamas, caracóis, etc.
Não adoram nem aceitam mais nenhum Deus além de Rastafári, proibindo todas as outras formas de adoração, que consideram pagã, apesar de respeitá-las.
Acham que foram chamados e tem a obrigação de criar uma nova ordem mundial .
Seguem as leis da antiga Etiópia não importando em que países estejam.
O Reggae no Brasil:
Natiruts
Talvez, ao lado da Tribo de Jah, a banda mais famosa do reggae nacional. Letras na ponta da língua e publico fiel. Brasília.
Irie
Nos oito anos de estrada o Irie aprendeu a fazer um reggae de atitude, que passa pela MPB, Funk, Jazz, Maracatu e Rock. Santa Catarina.
Jaafa reggae
Belém do Pará mostra seus filhos em Jaafa Reggae. Banda de primeira linha, com jovens músicos com boas idéias e comprometimento. Boas vibrações...
Jah Live
A energia do reggae do planalto. Responsa com personalidade, e a certeza de um bom show. Brasília.
Jahcareggae
Eis uma das melhores bandas regueiras de Sampa.
Jai Mahal e os Pacíficos da Ilha
Banda pioneira do Reggae brasileiro que desde o ínicio dos anos 80 vem traçando seu trajeto. Passou por várias formações, mas nunca perdeu a sua essência. O primeiro trabalho ainda em vinil e foi mixado e prensado na Jamaica, justamente no território sagrado da Tuff Gong de Bob Marley.
Java Roots
A força do reggae do Espírito. Os estilos do reggae numa banda só. Consciência e maturidade. Espírito Santo.
Jualê
Essa banda é uma das pioneiras do reggae nacional. Formada em meados de 1985, a banda buscou mesclar o swing brasileiro com o soul, o african pop e é claro com o Reggae.
Karuara
Formada em meados de 1999 na cidade de Salvador, a Banda Karuara se destacou desde o início, vencendo festivais intercolegiais de música. Reggae vibrante e verbo solto.
Keyroga
Regueiro guerreiro do território mineiro.
Mamma Quilla
Reggae rolando em Londrina e ecoando forte em São Paulo e Rio de Janeiro.
Manitu
A mistura do Reggae, Ska e Rock dá em Manitu. Trabalho próprio, prestigiado e com experiência. Minas Gerais.
Maraca Manca
Rapaziada da zona Sul de Sampa que mostra um Reggae de variações sem perder a identidade. Cd novo chegando...
Maskavo
Conhecido em todo Brasil, o Maskavo segue sua estrada com um Reggae de primeria e boas letras. “Um anjo do céu...”. Brasília.
Mato Seco
A galera de São Caetano do Sul vem se projetando como um dos símbolos da boa geração. Bons shows e galera fiel.
Namastê
Banda de reggae fiel e com alguns prêmios na bagagem. Paraná.
Nativo Rasta
Banda paranaense que está lançando seu primeiro Cd. Juventude e profissionalismo caminhando juntos. Boa caminhada galera.
Nego Blue
 Músicas com temas ecológicos e declarações de amor a Ilha do Mel. Paraná.
Negril
Reggae da baixada . Rio de Janeiro.
Neto Trindade e o Bando da Lua
Mais uma banda que batalha o seu lugar ao sol. Neto e o Bando da Lua apresenta um repertório variado que inclui MPB e muito Reggae. O carisma é a marca dessa banda.
No Apartheid
Galera de respeito da cidade gaúcha de Novo Hamburgo. Fazem um Reggae cheio de positividade e boas vibrações. Músicos experientes e alto astral. Já tocaram com a galera do alto escalão, como Natirutz, Ponto de Equilíbrio, Pure Feeling, Produto Nacional e com a banda original de Peter Tosh, no “The Peter Tosh Celebration Tour”, realizado em 2004 na caital gaúcha. È mole...
Noção Rasta
Banda paulista que faz um bom Reggae influenciado pelos mestres da MPB.
Onda-R
Rapaziada  de Niterói. Som pulsante com letras inteligentes e bem boladas. Impossível ficar parado.
Palavra Terra
Com mais de nove anos de estrada o Palavra Terra (antigo Rastafari Mix), vem conquistando seu espaço misturando o ritmo jamaicano com as batidas brasileiras sem perder a raiz da filosofia Reggae.

Conclusão:

Quando estiver sentado em um barzinho, curtindo o som aparentemente inocente dessas bandas, tenha em mente que você está ligado, mesmo sem perceber, ao movimento filosófico ou religioso "Rastafari" e aos seus conceitos no mínimo estranhos.
Não é necessário passar a odiar o Reggae ou mesmo deixar de ouví-lo. Eu mesmo gosto de algumas bandas e algumas músicas, então o que proponho ao mostrar este lado do Reggae?
Proponho que você pare de aceitar "prato-feito" e admita que longe dos seus olhos e de seu conhecimento, existem muitas coisas aparentemente inocentes mas que representam comprometimentos que a maioria desconhece. Vamos deixar de lado a cultura da "alienação elitista" que forma o paradigma das nossas classes que se julgam mais intelectualizadas!
Como disse Paulo:
"Julgai todas as coisas, retende o que é bom"
(1 Tessalonicenses 5:21)

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

As pérolas e o sofrimento...




Ostras são moluscos, animais sem esqueleto, macias, que são as delícias dos gastrônomos. Sem defesas – são animais mansos –  seriam uma presa fácil dos predadores.

Para que isso não acontecesse a sua sabedoria as ensinou a fazer casas, conchas duras, dentro das quais vivem.
Havia num fundo de mar uma colônia de ostras, muitas ostras.
Eram ostras felizes. Sabia-se que eram ostras felizes porque de dentro de suas conchas saía uma delicada melodia, como se fosse um canto gregoriano, todas cantando a mesma música.
Com uma exceção: de uma ostra solitária que fazia um solo solitário.
Diferente da alegre música das ostras felizes, ela cantava um canto muito triste. As ostras felizes se riam dela e diziam: “Ela não sai da sua depressão...”
Mas não era depressão. Era dor. Pois um grão de areia havia entrado dentro da sua carne e doía, doía, doía. E ela não tinha jeito de se livrar dele, do grão de areia.
Porém com o tempo ela descobriu que era possível livrar-se da dor, apesar do grão de areia. O seu corpo descobriu que, para se livrar da dor que o grão de areia lhe provocava, em virtude de suas aspereza, arestas e pontas, bastava envolvê-lo com uma substância lisa, brilhante e redonda. Assim, enquanto cantava seu canto triste, o seu corpo fazia o seu trabalho – envolvendo o grão de areia  lhe causava tanta dor.
Um dia passou por ali um pescador com o seu barco. Lançou a sua rede e toda a colônia de ostras, inclusive a sofredora, foi pescada. O pescador se alegrou, levou-as para a sua casa e sua mulher fez uma deliciosa sopa de ostras. Deliciando-se com as ostras de repente seus dentes bateram numa objeto duro que estava dentro da ostra triste. Ele tomou-o em suas mãos e deu uma gargalhada de felicidade: era uma pérola, uma linda pérola. Apenas a ostra sofredora fizera uma pérola. Ele tomou a pérola e deu-a de presente para a sua esposa. Ela ficou muito feliz...”
Ostra feliz não faz pérolas. Isso vale para as ostras e vale para nós, seres humanos. As pessoas que se imaginam felizes simplesmente se dedicam a gozar a vida. E fazem bem. Mas as pessoas que sofrem, elas têm de produzir pérolas para poder viver.
 Assim é a vida dos artistas, dos educadores, dos profetas e daqueles que mudam a cara do mundo!

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Deus está no controle.




Tenho aprendido em minhas desventuras que só existem duas coisas certas depois que saímos da barriga das nossas respectivas mães: Uma é que vamos envelhecer e a outra o show do Roberto Carlos no Reveillon...

Mas falando sério, me assusto com os imponderáveis e com as leis de probabilidade que nos rodeiam!
A cada dia de cada manhã, se pararmos pra pensar, nossas chances de que tudo "corra bem" e que estejamos em casa a noite sãos e salvos é bem menor do que a que tudo dê errado e que fiquemos com cara de "mamãe quebrei o vaso".

Então porque continuamos, porque prosseguimos diante de quadro tão desanimador e de impotência?
A gande maioria continua lutando e faz tudo certo pelos motivos errados, por ignorância ou até por arrogância.

Mas existe uma razão para não desistirmos na soleira da porta, antes de enfrentarmos um mundo tão mau...

Deus está no comando!

O mundo não está entregue aos lulas e Ahmadinejahs da vida!

Não estamos sujeitos a Lei de Murphy, mas estamos sob os cuidados de um Deus zeloso e soberano!

O problema é que os critérios e parâmetros Dele nãos são os nossos e que os caminhos Dele estão muito além da nossa compreensão!

Um exemplo:
Se um cara hoje, nos nossos dias, nascesse pobre, vivesse pobre, não tivese feito uma faculdade, não tivesse uma casa, um bom carro ou uma linda namorada e vivesse cercado de marmanjos tentando mudar o mundo sem interferência política ou amigos influentes, no mínimo pensaríamos que seria um drogado ou esquizofrênico, com transtorno de personalidade narcisista.

Mas essa é uma descrição simplista de Jesus...

E no final o cara ainda morre e pendurado numa cruz, morte de criminoso!

Mas do ponto de vista de Deus a vida dele foi perfeita, um sucesso!
Até hoje datamos nossas cartas a partir do dia em que ele nasceu!

Deus é estranho, seus caminhos misteriosos, mas seu amor verdadeiro e sua soberania inquestionável.
Continue lutando e acreditando porque Ele acredita e se importa com você!
E apesar das circunstãncias berrarem o conrário, Deus está no controle!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Um e-mail para o apóstolo Paulo...

 
Se houvesse a possibilidade de enviar um e-mail para o apóstolo Paulo, creio que seria mais ou menos assim:

Amado apóstolo,
Estou escrevendo para colocá-lo a par da situação do Evangelho que um dia você ajudou a propagar para nós gentios, e que lhe custou a própria vida. As coisas estão muito difíceis por aqui. Quase tudo o que você escreveu foi esquecido ou deturpado.

Você foi bastante claro ao despedir-se dos irmãos em Éfeso, alertando que depois de sua partida lobos vorazes penetrariam em meio à igreja, e não poupariam o rebanho [1].

Palavras de fato inspiradas, pois isso se concretiza a cada dia.
Lembra-se que você escreveu ao jovem Timóteo, que o amor ao dinheiro era a “raiz de todos os males”[2]? Quero que saiba que suas palavras foram invertidas, e agora se prega que o dinheiro é a “solução” de todos os males.
 
Também é com tristeza que lhe digo que em nossa época ninguém mais quer ser chamado de pastor, missionário ou evangelista, pois isso é por demais humilde: um bom número almeja levar o título de apóstolo. Sei que em seu tempo, os apóstolos eram “fracos... desprezíveis... espetáculo para os homens... loucos... sem morada certa... injuriados... lixo e escória” [3]. Agora é bem diferente. Trata-se de uma honraria muito grande: acercam-se de serviçais que lhes admiram, quando viajam exigem as melhores hospedarias e são recebidos nos palácios pelos governantes.

Eles não costumam pregar seus textos, pois você fala muito da “Graça” e da “liberdade que temos em Cristo” [4]. Isso não soa bem hoje, pois a Igreja voltou à “teologia da retribuição” da Antiga Aliança (só recebe quem merece), e liberdade é a última coisa que os pastores querem pregar à suas ovelhas.

Você não é bem visto por aqui, pois sempre foi muito humano, sem jamais esconder suas fraquezas: chegou até reconhecer contradições internas, dizendo que não faz o bem que prefere, mas o mal, esse faz [5]. 
Eles não gostam disso, pois sempre se apresentam inabaláveis e sem espinhos na carne como você. A presença deles é forte, a sua fraca [6], eles são saudáveis, você sofria de alguma coisa nos olhos [7], eles jamais recomendariam a um irmão tomar remédio, como você fez com Timóteo
[8], mas aqui eles oram e determinam a cura – coisa que você nunca fez.

Você dizia que por amor de Cristo perdeu “todas as cousas” considerando-as refugo [9]. As coisas mudaram, irmão. Agora cantamos: “Restitui, quero de volta o que é meu!”.
Vivo em uma cidade que recebeu o seu nome, e aqui há um apóstolo que após as pregações distribui lencinhos vermelhos encharcados de suor, e as pessoas levam pra casa, como fizeram em Éfeso, imaginando que afastarão enfermidades [10]. Sim, eu sei que você nunca ordenou isso, nem colocou como doutrina para a igreja nas epístolas, mas sabe como é o povo....
Admiro sua coragem por ter expulsado um “espírito adivinhador” daquela jovem [11], embora isso tenha lhe custado a prisão e açoites. Você não se deixou enganar só porque ela acertava o prognóstico. Hoje há uma profusão de pitonisas e prognosticadores no meio do povo de Deus, todavia esses espíritos não são mais expulsos, ao contrário, nos reunimos ansiosos para ouvir o que eles têm a dizer para nós.

Gostaria de ter conhecido os irmãos bereanos que você elogiou. Infelizmente, quase não existem mais igrejas como as de Beréia, que recebam a palavra com avidez e examinem as Escrituras “todos os dias para ver se as coisas são de fato assim”[12].
Tem hora que a gente desanima e se sente fragilizado como Timóteo, o seu companheiro de lutas. Mas que coisa bonita foi quando você o reanimou insistindo para que reavivasse “o dom de Deus” que havia nele [13]. Estou lhe confessando isso, pois atualmente 90% dos pregadores oferecem uma “nova unção” para quem fraqueja. Amo esta sua exortação, pois você ensina que dentro de nós já existe o poder do Espírito, dado de uma vez por todas, e não precisamos buscar nada fora ou nada novo!

Nossos cultos não são mais como em sua época, onde a igreja se reunia na casa de um irmão, havia comunhão, orações, e a palavra explanada era o prato principal.... as coisas mudaram: culto agora é "show", a fumaça não é mais da nuvem gloriosa da presença de Deus, mas do gelo seco, e a palavra é só para ensinar como conseguir mais coisas do céu.

O Espírito lhe revelou que nos últimos tempos alguns apostatariam da fé “por obedecerem a espíritos enganadores” [14]. Essa profecia já está se cumprindo cabalmente, e creio que de forma irreversível.

Amado apóstolo, sinto ter lhe incomodado em seu merecido descanso eternal, mas eu precisava desabafar. Um dia estaremos todos juntos reunidos com a verdadeira Igreja de Cristo.
Maranata!

[1] At 20.23; [2] 1Tm 6.10; [3] 1Co 4.-9-13; [4] Gl 2.4; [5] Rm 7.19; [6] 2Co 10.10;
[7] Gl 4.13-15; [8] 1Tm 5.23; [9] Fp 3.8; [10] At 19.12; [11] At 17.18; [12] At 17.11;
[13] 2Tm 1.6; [14] 1Tm 4.1.

Texto do Pr. Daniel Rocha

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Falar com Deus é um privilégio...


Hoje é um dia de luta como tantos outros em minha vida.

Neste exato momento minha esposa está em frente a um juiz pleiteando um direito nosso que ainda não foi contemplado. São mais de 4 anos de espera...

Eu acabei de receber a confirmação de uma oração neste exato instante...

E nesse misto de felicidade e apreensão, pensava em escrever algo importante para a sua vida quando este vídeo caiu na tela do meu PC...

É com lágrimas que te convido a assistí-lo com muita atenção e junto comigo entender a benção que reside em ter o privlégio de orar, de falar com Deus, para agradecer, pedir ou ser confortado! Não importa qual seja a sua situação...




Não há bem que sempre dure nem mal que nunca se acabe, mas o amor de Deus é eterno!

Assine nosso feed:

Os Desertos da Vida

↑ Grab this Headline Animator